Saudade do futuro, eu juro

junho 28, 2011 by

Tenho a infeliz mania de programar tudo “de bom” que quero fazer para as próximas férias, mas depois que passamos da adolescência férias não existe mais.

Estou nas minhas primeiras férias da segunda faculdade, e todos os cinco livros que comprei com um mês de antecedência para ler nessas semanas estão começando a ficar empoeirados, pois no ultimo momento surgiu um novo desafio, e literatura de entretenimento voltou para a estante dos “não lidos”.

As vezes tenho idéias maravilhosas de artesanato, que farei entre um bimestre de provas e outro. Nunca fiz.

Outras vezes fico vislumbrando como será bom sair do trabalho e ir direto para casa sem ter nada para estudar. Quando? Nunca!

Penso num futuro de ócio, e não faço coisas que eu “dou valor” por não ter tempo. Mas o que eu dou valor? Gosto da minha carreira, de aprender, de beber e de conversar com meus amigos. Só isso.

Então, a partir de agora, não vou mais tentar me organizar para um futuro onde terei todo tempo do mundo “só para mim”. Porque nessa altura do campeonato, sei que não vai ter.

Gosto de estudar, e gosto muito do meu novo curso, e meu tempo nessas férias está sendo usado para estudar temas legais tanto quanto. Então surge as resoluções: A partir de amanhã começo a ler meus livros de entretenimento por alguns minutos do meu dia, e o tempo que usarei para isso será exatamente o tempo que gasto pensando como seria bom ter todo tempo do mundo.

Começando agora, acho que sobrou até tempo para esse novo post, agora o artesanato é melhor deixar para lá mesmo!

 

Anúncios

No trabalho sejamos profissionais

maio 1, 2011 by

Sempre gostei de trabalhar, isso nunca foi um fardo.

A pior parte do trabalho são os colegas, e não que eles sejam ruins ou bons, legais ou chatos, o problema (que eu acho ser um GRANDE problema) é a “intimidade” forjada que alguns se acham conquistadores só pelo tempo de convivência.

É muito importante um ambiente amistoso entre os indivíduos, mas ai eu me pergunto, por que não podemos somente estabelecer um contato profissional, e acabamos forçados a nos tornar próximos, na esfera pessoal, de pessoas com as quais somos obrigadas a conviver?

Sempre haverá pessoas com maior afinidade com você, e isso é muito bom. Mas nada é pior do que um “engraçadinh@” que diz “aqui na firma todo mundo me conhece” e fala um monte de barbaridade achando que está na cocheira que mora…

Digo isso, porque DÚVIDO que NUNCA alguém tenha ouvido frases homofóbicas, preconceituosas, de ódio e por ai vai, d@ colega no ambiente de trabalho, por achar que todos por ali são “amigos” e a pessoa pode falar “o que lhe vem à cabeça” sem problema nenhum.

Troco o “bom dia/boa tarde” pelo benefício de não ouvir “opiniões pessoais” no ambiente profissional, sem precisar para isso criar uma “patrulha do politicamente correto”.

Sexo: nada a acrescentar

março 2, 2011 by

Sexo, nada melhor do que um bom sexo!

Sexo é coisa simples, não precisa de muito…
Precisa de mim
De você
Um querer
Querer você
E você me querer

Pode ser assim sem compromisso
Aqueles que perdemos o juízo
Sem critério
Com critério
Ou tudo levado a sério

O fazer é fácil
O sempre fazer é difícil
Pois para manter
Precisa dois querer

Nada a declarar

fevereiro 21, 2011 by

Ia falar de sexo, mas fico com medo de cair na vulgaridade, então prefiro não me arriscar… Poderia falar de temas atuais, o que amanhã já seria noticia velha… Queria falar de música, mas tem gente que faz isso com muito mais propriedade e bom gosto… Então vou falar do nada.

Como é chato falar de coisas quando não se tem nada a acrescentar… Costurar pensamentos muitas vezes cheio de desconhecimento e senso comum. Então realmente, quem não tem nada para falar, fale de nada.

Sabe quando você está tomando aquela cerveja gelada e alguém quer vir com a discussão sobre o Mubarak, e a primeira coisa que vem na sua cabeça é: nossa li uma frase idêntica na Folha hoje de manhã? Ou quando você já está bem louco e alguém quer discutir a efetividade das cotas sócias/raciais nas universidades, sabendo que a pessoa não mudará de opinião, e sabendo os argumentos que ela usará? Ou quando alguém começa com a história de como o capetalismo é cruel com excluídos…

Gente, existe lugar e hora para tudo na vida, então não queira intelectualizar no bar, porque Ciências Barísticas é legal só quando estamos na faculdade, depois é chato. Ou não, mas para mim é.

Gosto da minha amiga Penélope justamente porque ela pensa assim também.

Agora, vamos falar de nada, não é bem melhor falar sobre nada do que se travar numa conversa que não vai levar a… nada!

 

Apenas Mais Uma De Amor

fevereiro 2, 2011 by

Queria falar de um “causo” que ando acompanhando, já comento logo inicialmente não é um “causo” meu, porquê se fosse meu eu já tinha falado.

Vejo duas amigas que se gostam… Gostam como a gente gostava quando era criança e jurava que a amizade era eterna.

Aquelas amigas que não se desgrudam, acordam e já pensam uma na outra, e a primeira coisa é perguntar como a outra está.

O cuidado, a saudade e o brilho nos olhos…

Isso não é só amizade.

Dizem que gay sempre quer gayzar todas as relações. Não acho. Só temos a sensibilidade de perceber que algumas relações são homoafetivas e não são homossexuais por puro pudor, preconceito e falta de autoconhecimento… E coragem… Não é fácil assumir para si mesmo que sua melhor “amiga do mundo” é seu grande amor… Mas vamos lá, coragem!

Vocês formariam um belo casal!

 

 

Úteros dominados

janeiro 14, 2011 by

Na sala de espera do meu ginecologista, junto aos folhetos explicativos e umas duas grávidas, encontrei um jornaleco religioso sobre saúde, e essa edição tinha como discussão central o aborto. Eu que adoro polêmicas fui degustá-lo, e ainda não consegui digerir, daí a razão desse post.

Mais parecia um tablóide medieval encontrado numa igreja, atrás das fogueiras que queimavam bruxas. Como eram textos radicais, tentei enxergar através da proposta. Li pérolas como ”o aborto não é uma questão sobre a qual a mulher tem direito de escolher”. Êxodo21:22-25, “Deus dá a mesma punição a alguém que comete um homicídio a quem causa a morte de um bebê no útero”. Ok, fundamentalismos à parte, e se a vida da mãe estiver em risco?

A legislação permite que seja feito o aborto de um filho programado, que por desencontros biológicos se tornou fatal para seus responsáveis. Me parece no mínimo digno. E parece digno à teologia cristã (citação presente no jornalzinho) que “Deus é capaz de realizar milagres, preservando as vidas de uma mãe e da sua criança, apesar de todos os indícios médicos contra isso”. Desculpem, isso parece lavagem cerebral.

E o que me assustou mesmo foi saber que abortar um filho resultante de estupro seria um duplo erro, já que a ‘criança’ nada tem a ver com os “atos malignos de seu pai” – mas a mãe tem né? Por isso ela tem o ‘dever’ de carregar ‘seja-lá-o-que-estiver-na-barriga’, pari-lo e criá-lo. Ah, nesse caso ela pode doá-lo,  que nem cachorro. Já diz Nando Reis,“não vou me adaptar”. Eu também não.

Posto aqui a minha tristeza profunda e indisgestão intensa. Sou incapaz de enxergar o mundo através dessa ótica e menos ainda de compactuar com ela. É exatamente esse tipo de pensamento machista, retrógrado, alienador e ilusório que aliado à moral relativista aumenta o número de mulheres mortas em clínicas de aborto clandestinas.

Perseverar nisso, atrasa qualquer tipo de tentativa de avanço.

A favor da bárbárie, avante úteros! Só não esqueçam do anticoncepcional…

 

Cansei de ser Poliana…

Retropospectiva 2011

janeiro 12, 2011 by

Janeiro a gente já começa de ressaca!! Passando-se as festas do outro ano o que não falta é chuva para hidratar o nosso país. Em fevereiro fica tudo legal, tem carnaval, ainda tem gente na praia, samba de saia, churrasco de domingo. Em março? Que que tem em março? Ahhhh… pra quem tá na facul começam as aulas, prá quem trabalha lá, também. Pra quem já saiu, espero que já esteja trabalhando, porque ficar desempregado é foda, e começar em abril, já viu! É Páscoa, aí só Jesus para reencarnar as esperanças de uma nova vida. Eu, nessa história to no meio. É, quero dizer, aí vem Maio, que já começa com feriado, pra quem trabalha e pra quem não trabalha também. Junho, adoro junho, tem festa de São João, pinhão, quentão! Faz frio e dá vontade de ver filme abraçadinho no sofá. Quem não tem quem abraçar pode comer o tal bolo e torcer para achar o tal Santo. Juram que funciona! Aliás, aí vem o mês: Julho! Férias de inverno! Dá para ficar um mês inteirinho sem fazer nada embaixo da coberta! E ainda tem algumas festas julinas para aproveitar! E alguns aniversariantes!

A partir daí começa o fim do ano. E ele começa com agosto, o tal do mês do cachorro louco. Fica todo mundo o mês inteirinho reclamando que o pobre do mês é uma merda. Coitado! Garanto que ele não fez nada para ninguém, pra mim a culpa é toda de vocês. Setembro tem festa nacional!! Fica todo mundo olhando no calendário desde o começo do ano para ver o dia da semana que cai o dia do mês, e torcendo para que caia na quinta. Iiii… cai na quarta! Já perdemos o feriadão!! Aí fica todo mundo o mês inteiro reclamando que não teve feriado. Daí botam a culpa no ano, é 2011!  Outubro… em outubro todo mundo começa a dizer que o ano está passando muito rápido. Até então o ano não passava e sobrava tempo no fim das atividades. Agora ninguém mais tem tempo para nada. Só para planejar as férias de final de ano, ou o trabalho de final de ano para os que não trabalharam! Em novembro tem feriado!! Olha que beleza cai numa terça!! Todo mundo vai engarrafado pra praia curtir o começo do verão!! E não é que chegamos em dezembro. OBA! Tem natal outra vez! Amigo secreto, presentinhos, pernil assado e praia no reveillon!! Êta ano bom sô! Mas como passou depressa, né?

Um ótimo 2012 pessoar! São os sinceros votos de Gabriela!

Já tenho 40 anos?

janeiro 7, 2011 by

Estou bêbada! Isso não é novidade para aqueles que me conhecem…normalmente eu sou até que divertida, falo horrores e faço a minha irmã me mandar calar a boca pelo menos 3 vezes na mesma noite.

Mas hoje não é dia de piada e nem de alegria. Hoje pela primera vez me senti velha, fora do padrão, distante daquilo que queriam que eu fosse ou daquilo que eu era.

Dois dias atrás fizemos uma brincadeira e a pergunta foi: “Se você pudesse ir para o futuro, para quando você iria?”

“Zero” a minha resposta foi “Zero”. Mas só hoje eu realmente entendi o porquê…. e eu realmente tenho saudades de quando eu não entendia por que…

O futuro me absolve!

dezembro 31, 2010 by

Pensei em falar de 2010, mas enfim, 364 dias vivendo num ano, e ainda falar dele, acho superestimar um ano no fim. Vamos falar de 2011!

Enfim uma nova década!

A década que passou foi ótima, foi a década de todos as primeiras coisas da minha vida, de bom e de ruim, as boas eu melhorei com o tempo, as ruins eu aprendi a lição. Mas espero que nessa próxima década também possa experimentar coisas pela primeira vez, e que não se limite a interações tecnológicas.

Espero achar um hobbie que não envolva tabaco nem cevada (em excesso). Espero fortalecer minhas amizades, pois gosto muito de todos meus amigos reais. Espero trocar mais informação com os colegas virtuais também.

Torço para que descubram uma maneira eficiente de perder peso dormindo, e um remédio de ressaca, puxa indústria farmacêutica e alimentícia invistam nessas áreas!

Torço também para que cada porre que eu tome, eu faça sexo duas vezes, como uma regra de vida. Espero encontrar alguém legal também, sem dramas, só camas!

Espero também que o bom gosto volte a moda, assim como a boa educação, e em algumas situações até os bons costumes. Chega de baixaria né?

Meus mais sinceros votos de felicidades a todos vocês! E vamos seguir juntos, pois juntos entendemos a piada!

Aquele abraço e que venha 2011!

 

Une histoire ordinaire

dezembro 16, 2010 by

Aqui quem fala é Gabriela, do velho mundo,  menos 1 grau, lá fora cai uma neve suave…

Bom, vida de estudante no exterior, dificuldades com a língua, no contato com os colegas e professores. Festas finais de semana, diálogos com pessoas interessantes. Tudo normal, tudo tranquilo e sobretudo bem agradável.

Tudo isso para falar que ontem tive um date. Saímos para tomar algo, uns drinks bem gostosos. Mas deveria pegar o ônibus antes da meia noite. Fomos juntos. Mas não queríamos voltar para a casa. Decidimos passear, andar sobre a neve, visitar a Basílica da cidade. A neve caia, lentamente, ninguém na rua, nenhum barulho que não fosse o de nossos passos.

Conversamos sobre nossas vidas, nossas impressões, nossas experiências. Na Basílica, no alto da cidade, todas as luzes sob os nossos olhos, todos dormiam.  O frio era forte, difícil ficar parado… nos beijamos. Tudo quente, uma delícia, o frio desaparecia no mesmo momento. Resolvemos fumar… e acabamos nos perdemos… Madrugada no velho mundo,  neve e nós dois perdidos, ninguém na  rua. Ríamos!

O frio começou a ficar muito forte. Achamos o caminho. Após um belo passeio retorno a minha casa e ele para a de seus amigos. Confesso ter sido um dos passeios mais agradáveis, leves e inesperados. Após um dia de muito trabalho um beijo sobre a neve e um cigarrinho especial fazem toda a diferença. A gentileza francesa então, nem se conta.

Beijos enormes e geladinhos da Gabriela.