Archive for dezembro \31\UTC 2010

O futuro me absolve!

dezembro 31, 2010

Pensei em falar de 2010, mas enfim, 364 dias vivendo num ano, e ainda falar dele, acho superestimar um ano no fim. Vamos falar de 2011!

Enfim uma nova década!

A década que passou foi ótima, foi a década de todos as primeiras coisas da minha vida, de bom e de ruim, as boas eu melhorei com o tempo, as ruins eu aprendi a lição. Mas espero que nessa próxima década também possa experimentar coisas pela primeira vez, e que não se limite a interações tecnológicas.

Espero achar um hobbie que não envolva tabaco nem cevada (em excesso). Espero fortalecer minhas amizades, pois gosto muito de todos meus amigos reais. Espero trocar mais informação com os colegas virtuais também.

Torço para que descubram uma maneira eficiente de perder peso dormindo, e um remédio de ressaca, puxa indústria farmacêutica e alimentícia invistam nessas áreas!

Torço também para que cada porre que eu tome, eu faça sexo duas vezes, como uma regra de vida. Espero encontrar alguém legal também, sem dramas, só camas!

Espero também que o bom gosto volte a moda, assim como a boa educação, e em algumas situações até os bons costumes. Chega de baixaria né?

Meus mais sinceros votos de felicidades a todos vocês! E vamos seguir juntos, pois juntos entendemos a piada!

Aquele abraço e que venha 2011!

 

Anúncios

Une histoire ordinaire

dezembro 16, 2010

Aqui quem fala é Gabriela, do velho mundo,  menos 1 grau, lá fora cai uma neve suave…

Bom, vida de estudante no exterior, dificuldades com a língua, no contato com os colegas e professores. Festas finais de semana, diálogos com pessoas interessantes. Tudo normal, tudo tranquilo e sobretudo bem agradável.

Tudo isso para falar que ontem tive um date. Saímos para tomar algo, uns drinks bem gostosos. Mas deveria pegar o ônibus antes da meia noite. Fomos juntos. Mas não queríamos voltar para a casa. Decidimos passear, andar sobre a neve, visitar a Basílica da cidade. A neve caia, lentamente, ninguém na rua, nenhum barulho que não fosse o de nossos passos.

Conversamos sobre nossas vidas, nossas impressões, nossas experiências. Na Basílica, no alto da cidade, todas as luzes sob os nossos olhos, todos dormiam.  O frio era forte, difícil ficar parado… nos beijamos. Tudo quente, uma delícia, o frio desaparecia no mesmo momento. Resolvemos fumar… e acabamos nos perdemos… Madrugada no velho mundo,  neve e nós dois perdidos, ninguém na  rua. Ríamos!

O frio começou a ficar muito forte. Achamos o caminho. Após um belo passeio retorno a minha casa e ele para a de seus amigos. Confesso ter sido um dos passeios mais agradáveis, leves e inesperados. Após um dia de muito trabalho um beijo sobre a neve e um cigarrinho especial fazem toda a diferença. A gentileza francesa então, nem se conta.

Beijos enormes e geladinhos da Gabriela.